Agricultura irrigada: O principal desafio é produzir mais usando menos água!

Agricultura irrigada: O principal desafio é produzir mais usando menos água!

A agricultura irrigada é um importante mecanismo para obtenção de boa produtividade no setor agrícola. Mais do que um  conjunto de técnicas e equipamentos, é importante ter em mente que um sistema adequado de irrigação viabiliza o uso eficiente da água destinada ao atendimento das necessidades hídricas das plantas. Por isso, o produtor precisa sempre priorizar as fases de maior necessidade de água da lavoura. Além disso, na hora de fazer a aquisição dos equipamentos optar por aqueles que possam ser otimizados.

Os agricultores devem estar atentos às formas, práticas e técnicas que favoreçam o aumento da produção de alimentos utilizando a quantidade de água adequada. Afinal, quando a água é fornecida de forma correta estamos falando da agricultura irrigada. Conhecer bem as necessidade hídricas de cada planta, o tipo de solo e a topografia da região e a quantidade de recursos disponíveis permite planejar o manejo racional da irrigação.

Sabemos que sem água não existe vida e que o equilíbrio do nosso planeta depende da preservação desse recurso. Além disso, maior eficiência da agricultura irrigada é sinônimo de maior rentabilidade e segurança para o produtor rural. Continue com a gente até o final deste artigo pois preparamos um super bônus! Boa leitura!

Principais tipos de sistemas para agricultura irrigada

Segundo dados da Agência Nacional de Águas (ANA) a agricultura irrigada é responsável por 70% de toda água retirada dos mananciais no Brasil. E mais, uma quantidade significativa desta água é subutilizada em grande parte do território nacional. Com os recursos disponíveis seríamos capazes de de irrigar cerca de 30 milhões de hectares. Porém, a realidade dos dias atuais é que usamos apenas 15% disto.

Conhecer cada um dos sistemas de irrigação e suas características é um passo importante para acertar na irrigação. Abaixo listamos os principais, confira:

Irrigação por aspersão

Considerado o principal método de irrigação, neste sistema a água é aspergida pelo ar imitando, uma chuva bem fina. Para que isso aconteça é disposto um ou mais jatos de água que possuem uma grande quantidade de gotas pequenas, dando um efeito de chuva artificial.  A principal vantagem desse método é a facilidade de se adaptar a diferentes culturas e topografias por não precisar sistematizar o terreno. Existem diferentes métodos de irrigação por aspersão. São eles:

  • Pivô-central;
  • Convencional;
  • Convencional fixo;
  • Rama volante;
  • Sistema linear;
  • Autopropelido (Falaremos mais adiante).

Dos estabelecimentos agrícolas que fazem uso da agricultura irrigada, 18% utilizam o pivô central e cerca de 35% optam por outros métodos de aspersão. Para realizar uma escolha acertada é preciso levar em conta o tipo de cultura a ser trabalhada, a topografia em que a propriedade se encontra, disponibilidade de mão-de-obra e a disponibilidade de recursos hídricos. Os principais benefícios deste sistema são:

 

  • Boa uniformidade na distribuição da água;
  • Menores perdas por evaporação e infiltração;
  • Projetos bem conduzidos diminuem o risco de erosão causada pelo excesso de água;
  • Maior economia de mão-de-obra quando comparado aos métodos de irrigação por superfície.

Irrigação por microaspersão

A microaspersão é um sistema de irrigação localizada que faz uso de microaspersores autocompensados, juntamente com filtros de disco ou tela. Neste caso a precipitação de chuvas é mais suave e uniforme do que a aspersão. Em virtude disso, muitos produtores optam por este sistema em função da economia gerada com a mão-de-obra e por conta da maior facilidade na aplicação de fertilizantes.

Irrigação autopropelidos

O sistema de irrigação autopropelidos é composto por um aspersor de médio ou grande alcance, que também é conhecido como canhão ou mini canhão hidráulico. A sua estrutura é montada para que possa se deslocar longitudinalmente ao longo da área a ser irrigada. É um tipo de irrigação por aspersão que é movimentado por energia hidráulica gerada a partir da água bombeada.

Com um fácil manejo, sua aplicação é indicada para culturas que apresentam topografia plana ou inclinada. Outro benefício é a facilidade de se adaptar a diferentes culturas como pastagens, frutíferas e plantio de cana-de-açúcar. Apesar das vantagens, é um sistema que demanda muito atenção e planejamento para que possa garantir uma distribuição uniforme da água.

Irrigação por gotejamento

O gotejamento é um sistema pelo qual a água é transportada até a planta caindo gota a gota por cima do solo. Fornece o insumo de forma gradual e permite manter a umidade do solo  mais próximo possível as necessidades reais da planta. O resultado é a melhora no desenvolvimento das raízes além de todas as plantas receberem a mesma quantidade de água e fertilizantes.

Nesse sistema é  possível preservar a superfície da planta sem molhar e o solo é umedecido na proporção correta. Assim, são reduzidas as perdas por evaporação. Além disso, ocorre o fornecimento regular de água mesmo naqueles lugares onde o recurso não está disponível em abundância. O adubo pode ser fornecido junto com a água de irrigação (fertirrigação), favorecendo aumentos de produtividade. Além disso, este método evita que as plantas daninhas sejam irrigadas, assim fica mais fácil controlar plantas invasoras, insetos e fungos.

Vimos que existem várias formas de fazer agricultura irrigada e o tipo de sistema utilizado vai depender da disponibilidade de recursos e do tipo de cultura adotada. Dar atenção especial para a escolha do método mais adequado proporciona diversas vantagens a médio e longo prazo.

fonte:http://www.revistaagropecuaria.com.br/2019/03/22/agricultura-irrigada-o-principal-desafio-e-produzir-mais-usando-menos-agua/

Deixe uma resposta

Fechar Menu